Ensinamentos Meditação Vídeo-palestras

Guia de Meditação

Guia teórico e prático de meditação. Com estes ensinamentos de vários professores qualificados pode começar já a meditar. É no entanto recomendado a prática sob a orientação direta de um professor.


Conteúdo:


.: A Meditação Budista :.

Por Ajahn Jayasaro

Introdução

Transcrição:

O Buda disse que nós não experienciamos verdadeira felicidade nas nossas vidas. Nós descobrimos que mesmo que o nosso ambiente material se torne mais confortável ou sintamos algum sucesso nas nossas vidas, isso não funciona realmente, algo parece não estar muito certo, há algum sentimento de falta.

O Buda disse que é como se você tivesse um balde ou um recipiente com um buraco nele e quanto mais você enche mais vaza.

O Buda não está menosprezando a importância da vida mundana e como nós nos comportamos, longe disso, mas ele diz que no final a coisa mais importante é como nós nos relacionamos com nosso coração, com a nossa mente.

Então o Buda nos deu muitos meios hábeis para lidar com a maneira que as nossas mentes são, descobrindo, observando a maneira como nós criamos sofrimento para nós de uma maneira que possamos aliviar esse sofrimento.

Nesse desenvolvimento espiritual que o Buda falou ele enfatizou dois lados diferentes de uma mesma moeda. Um lado é o da tranquilidade, paz, estabilidade da mente e o outro lado é claridade, penetração, e olhar claramente o que é o quê; e essas duas coisas não podem realmente ser separadas.

Então a meditação budista tem como objectivo encontrar maneiras de largar, abandonar maneiras erróneas de pensar, lidar construtivamente com emoções negativas, até que a mente atinja um ponto de claridade e paz, que tem poder suficiente, luminosidade, clareza, integridade, para olhar bem de perto a maneira como as coisas são. E esse olhar, esse ver como as coisas são, é essencial para a meditação budista, cultivo budista.

Bhavana

Transcrição:

Não há realmente uma palavra para “meditação” no idioma Pali, a palavra que usamos é “Bhavana”, que significa “cultivo”. E eu acho que é um ponto importante porque se nós não entendemos realmente a maneira como a meditação está integrada em um cultivo espiritual geral, que inclui a nossa relação com o mundo material, o nosso relacionamento com as pessoas ao nosso redor, então ela pode falhar em preencher as características que precisamos para ela ser meditação budista.

Então, a meditação budista consiste de técnicas, métodos para desenvolver ou cultivar estados mentais saudáveis e abandonar estados mentais não saudáveis para providenciar a fundação para o desenvolvimento de sabedoria.

O cultivo da sabedoria é o objectivo último, porque o Buda nos ensinou que enquanto que estados mentais pacíficos e sublimes podem suprimir, e com mais sucesso, suprimir por longos períodos estados mentais não saudáveis, é somente a faculdade da sabedoria que pode desenraizá-los.

Agora, antes que esse tipo de fundação de claridade, paz, integridade interior possa ser mantido suficientemente para essa faculdade de sabedoria fazer o seu trabalho, o cultivo da vida no mundo, a relação com o mundo material e social é muito importante. Primeiramente para criar um senso de segurança e harmonia no mundo social, e segundo para que nós não sejamos atormentados por tipos de remorso e culpa por causa das nossas acções e falas.

Isso se torna muito claro quando nós começamos a meditar, porque certos tipos de comportamento e maneiras de falar que nós geralmente podemos não considerar culposos, como apenas a maneira que todos agem e falam, quando você começa a meditar você se torna muito mais sensível às qualidades de acções, e a mente pode ser consideravelmente perturbada por coisas que fizemos ou deixámos de fazer, falámos ou deixámos de falar.

É novamente importante lembrar que se você está tentando meditar e está tendo dificuldades, e provavelmente terá, no começo pelo menos, então os problemas que você está presenciando não são inimigos, não são sinais de que você não tem esperança, mas eles estão te ensinando sobre desequilíbrios específicos de uma falta de entendimento claro da maneira mais inteligente de conduzir a sua vida em sociedade.

Atitude

Transcrição:

Então, eu estava falando sobre a importância de escrúpulos e interesse em cultivar a qualidade das relações no mundo social e material, como uma maneira de criar as fundações para o sucesso na meditação e que frequentemente as dificuldades na meditação não são tanto dificuldades técnicas ou falta de informação, mas falta de aplicação nos estágios preparatórios, particularmente na vida diária.

Sila [ética/moralidade] e o treino de conduta é algo que deve ser tratado habilidosamente e também com entusiasmo e interesse. Não é algo que é imposto de fora, tem que ser visto como um tipo de treino. A habilidade de ver desta maneira depende de pensar um tanto, de investigação e do uso da faculdade da sabedoria num nível inicial.

À medida que você mantém os preceitos e os usa como ferramentas para desenvolver Plena Atenção e limites de conduta, então a sua habilidade de ver as coisas claramente cresce. O Buda disse que é como se você lavasse a sua mão esquerda com a direita e a direita com a esquerda.

Sila limpa a faculdade da Sabedoria; Sabedoria limpa Sila.

Considerando a própria prática da meditação, eu gostaria realmente de ressaltar esse ponto, que muito do que você experiencia na sessão de meditação, sentado na almofada, vai ser fortemente influenciado pelo que você faz no resto do dia, que se você não se está esforçando para estar presente na sua experiência, para estar puro e acordado na sua vida diária, vai ser difícil ter essa presença da mente, claridade e vigilância, que são absolutamente essenciais para a meditação. Porque a paz que surge na meditação budista não é um tipo de estado torpe, florido, sonhador, é a antítese disso, é uma espécie de claridade absoluta.

Não é ‘encarar’ o objecto de meditação, é aprender a ‘estar com’ o objecto de meditação. E se você puder encontrar uma maneira de entender o que está fazendo, estar com o objecto de meditação como a respiração de maneira que você prefira estar com o objecto de meditação do que com pensamentos do passado ou do futuro, fantasias e imaginação, então você está no caminho certo para experienciar alguns dos frutos da meditação.

Não é forçar a sua mente a concentrar-se em algo, mas sim encontrar uma maneira de aproveitar este objecto de meditação de maneira clara, balanceada, luminosa e grandiosa, de maneira que você não é arrastado ou atraído para mais nada.

.: Analogia do copo :.

Por Ajahn Brahm

(Legendas em português podem ser activadas)

.: Todos os budistas meditam? :.

A meditação é muitas vezes identificada como a prática central do budismo. No entanto, a maioria dos budistas ao longo da história não meditaram! A meditação tem sido tradicionalmente considerada uma prática monástica, e mesmo assim, como uma especialidade apenas de certos monges. É somente a partir do século XX que a prática da meditação começou a ser amplamente praticada por leigos. (tricycle)

Sejam quais forem as suas razões, se você é budista e não medita, não se sinta menos budista por isso, o budismo o pode beneficiar de outras formas. E se você não é um budista e quer mediar, isso também não é um problema.

.: Existem vários tipos de meditação budista? :.

Sim, existem vários tipos de meditação budista, alguns para o desenvolvimento de estados profundos de absorção e êxtase mental, outros para análise dos constituintes da mente e do corpo, outros para descobrir que não existe um eu, etc. Existem várias abordagens, vários métodos e técnicas de meditação, assim como diferentes finalidades. Há escolas que dão ênfase a um dos métodos, outras que utilizam vários métodos. Para ter um ideia das várias formas, pode consultar esta página da Wikipédia em inglês, lembrando que, para o estudo do budismo e para aprender a meditar correctamente é recomendado o apoio de um professor qualificado, esse artigo serve apenas para ter uma ideia das várias formas de meditação.

.: Porque meditar? :.

Por Sagarapriya

Sugestão de leitura:

.: Benefícios da Meditação :.

Os benefícios da meditação dependem da forma como a pessoa pratica, não é nenhuma “pílula mágica” que vai resolver todos os males. No geral qualquer pessoa pode meditar, mas para algumas pessoas com algum tipo de patologia mental ou algum trauma até pode ser contraproducente se não for bem orientada.

Mas uma prática sólida pode trazer muitos benefícios para o praticante. Alguns benefícios têm sido comprovados pela ciência, no entanto, à que dizer que a meditação tem sido usada desde há milhares de anos e os budistas têm reconhecido os seus benefícios sem que seja necessário qualquer “comprovação científica”.

De referir que alguns dos benefícios da meditação são como “efeitos colaterais”, não sendo propriamente esse o objectivo último. O principal objectivo no budismo é atingir o despertar ou iluminação. A meditação é apenas um dos passos dentro do Nobre Caminho Óctuplo e deve ser praticada juntamente com os restantes ensinamentos. Apenas a prática meditativa é insuficiente. Mas claro que quem não é budista, ou até para um budista que só quer um pouco de paz de espírito e não tem como objectivo principal o despertar, também se pode beneficiar muito da pratica meditativa, mas a proposta do Buda era um pouco mais elevada do que buscar apenas algum bem-estar.

Manter uma prática meditativa regular normalmente também exige esforço e uma motivação sólida (pelo menos no início). Os benefícios podem servir como motivação, mas muitos deles não surgem de um dia para o outro, por isso muitas pessoas começam a meditar mas não conseguem manter uma prática regular. A ajuda de uma comunidade e um background budista geralmente solidificam a motivação, e sem que esteja propriamente embasada em benefícios. De qualquer maneira, seguem alguns dos possíveis benefícios mundanos (físicos e mentais).

Alguns dos possíveis Benefícios físicos:

  • Melhoria da postura
  • Melhoria da respiração
  • Fortalecimento do sistema imunológico
  • Redução de dores físicas (dores de cabeça, úlceras, dores musculares, etc)
  • Redução de problemas de insónia
  • Aumento da fertilidade
  • Redução do síndrome do intestino irritável
  • Redução da pressão arterial e do risco de doenças cardíacas
  • Melhoria de doenças crónicas (juntamente com os tratamentos convencionais)
  • Aumento da produção de serotonina
  • Actua como Anti-inflamatório
  • Melhoria geral do organismo

Alguns dos possíveis Benefícios mentais:

  • Redução do stress e ansiedade
  • Melhoria do equilíbrio emocional
  • Aumento da serenidade, calma, paz de espírito e relaxamento
  • Aumento da disposição, alegria e humor
  • Aumento da equanimidade
  • Aumento do foco e concentração
  • Aumento da criatividade
  • Melhoria da intuição e clareza mental
  • Melhoria da memória

.: Quanto tempo meditar? :.

10 minutos, 3 vezes por semana, é um bom começo. Depois de ter esse hábito formado aumentar o tempo ou o número de vezes. Mas se conseguir manter 10 minutos, 3 vezes por semana, já é bom. Quando não conseguir fazer as 3 vezes por semana, não se martirize, hábitos levam o seu tempo a ser formados, tenha compaixão por si mesmo(a). Essa é a sugestão da Monja Isshin. Alguns professores consideram que o ideal seria manter pelo menos 20 minutos, 5 vezes por semana. Tipicamente uma sessão de meditação pode ir até 1 hora ou mais. Há que referir mais uma vez que um professor que o(a) possa auxíliar no Caminho é sempre importante.

.: Quando meditar? :.

O inicio do dia, depois de acordar, é apontado como um dos melhores momentos para meditar, pois o corpo está descansado e mais desperto e a mente está mais calma uma vez que ainda não foi agitada pelas ocorrências do dia. Antes de se deitar também é um bom momento para meditar. Se possível opte por uma sessão ao iniciar o dia e outra no final do dia, se não for possível faça apenas uma sessão no momento mais conveniente. Pode meditar em qualquer altura. Uma sugestão é também fazer micro meditações ao longo do dia, por exemplo respiração consciente durante 1 minuto ou menos em vários momentos do dia. Situações como estar numa fila de espera são boas alturas para se lembrar de voltar ao momento presente. Comer com consciência plena, lavar a loiça com consciência plena, etc, tudo serve para um momento de prática. A meditação é um cultivo mental que deve estar presente no dia a dia.

.: Como meditar? :.

posturas-meditacao

Instruções básicas

Postura

  • Sente-se adoptando uma das posições mostradas na imagem acima, o mais importante é manter a coluna direita.
    • Nota: A meditação também pode ser feita em pé, a caminhar e deitada. Essas 3 posturas juntamente com a sentada foram referidas pelo Buda. A mente meditativa também pode e deve ser levada para todas as tarefas do dia a dia. Neste artigo se destaca a meditação sentada porque é o treino mais eficaz e que ajuda a levar esse tipo de mente para todas as situações.
  • Os olhos ficam semiabertos (ou fechados);
  • A boca fica fechada, a língua atrás dos dentes e a tocar no céu da boca;
  • Coluna e pescoço direitos, alinhados, mas relaxado, sem tenção;
  • Mantenha o corpo imóvel (faça  o melhor que conseguir, tenha atenção aos limites do seu corpo para não o ferir). Um corpo imóvel ajuda a estabilizar a mente.

Prática

Como vimos anteriormente, existem vários tipos de meditação, aqui é descrito a meditação da atenção plena à respiração (anapana sati), que é uma das mais utilizadas.

  • Depois de estar na posição escolhida, relaxe o corpo… a testa, a face, os ombros, as costas, relaxe… de cima a baixo, mas não ao ponto de cair na sonolência;
  • Mantenha uma mente desperta e plenamente atenta;
  •  É preciso encontrar um equilibro entre relaxamento e atenção, para não cair nem em torpor nem em excitação mental;
  • Faça 3 respirações profundas;
  • Foque a atenção na respiração (o objeto de meditação para esta prática). Pode focar a atenção num dos seguinte pontos:
    • Na entrada das narinas: o ar a sair e a entrar, as sensações, a temperatura…
    • O ar a entrar pelo nariz, a chegar aos pulmões e a sair
    • A expansão e contração da zona abdominal
    • O corpo inteiro a respirar
  • Mantenha-se plenamente atento ao inspirar e ao expirar. Não controle a respiração, apenas fique atento, esteja ciente;
  • Seja apenas um observador. Não avalie a respiração, se está curta ou longo, rápida ou lenta… não julgue, apenas observe com plena atenção;
  • Quando surgem pensamentos, quando se distrai, não tem problema, relaxe e volte novamente a atenção para a respiração;
  • Não se identifique com os pensamentos e sensações que surgem, não seja tomado pelas sensações, mantenha-se equânime, como um observador, plenamente atento, ciente; 
  • Não faça da meditação uma luta contra os pensamentos. Perceba e observe quando surgem, enquanto permanecem e quando se dissolvem. Perceba o espaço que existe entre um e outro pensamento;
  • Tente manter a mente na respiração. Se a mente continua a escapar, a se distrair, volte novamente a atenção para a respiração, quantas vezes for necessário, 100 vezes, 500 vezes, 1000 vezes, 10000 vezes, não importa. Volte a atenção para a respiração, mas sem ficar irritado, sem tensão, com tranquilidade, serenidade, relaxado! A mente escapa, não importa, relaxe e volte para a respiração, só isso!
  • Não crie expectativas, não pense em atingir algo, mantenha a mente apenas na respiração;
  • Continue a fazer isso durante o tempo que escolheu para meditar. 

As técnicas ou tipos de meditação podem incluir: atenção às sensações com scan corporal; observação da mente, que incluí a atenção aos pensamentos e emoções; meditação com mantras ou uma palavra; meditação nas qualidades do Buda; visualizações (no Buda por exemplo); meditação analítica; atenção aos 5 elementos do corpo (terra: peso e consistência do corpo; agua: fluidos do corpo, sentir o sangue; ar: sentir a leveza; fogo: sentir a temperatura, o calor); atenção aos sons; foco numa cor; etc.

Instruções de professores

Por Thubten Lhundrup

● ● ●

Por S. N. Goenka

● ● ●

Por Ajahn Brahm

Técnicas para silenciar a mente

(Legendas em português podem ser activadas)

● ● ●

Por Ajahn Mudito

Orientações para meditação

(A partir do minuto 7:35)

Meditação Budista

A generosidade e a prática da meditação

Recomendações para quem está começando na meditação

Sugestão de leitura e outras palestras (link externo):

.: Mais sobre meditação :.

Meditação da Concentração na Respiração (Anapana Sati)
Meditação da Bondade Amorosa (Metta)
Zazen: o que é e como praticar?
O que não é meditação | 11 equívocos
Os 5 Agregados no processo da Meditação Vipassana
Como a meditação ajuda a envelhecer bem
Correr com a mente de meditação | Sakyong Mipham
[Vídeo-Palestra] Meditação Vipassana e Sensação do Corpo | Eilona Ariel
[Vídeo-Palestras] Retiro: O Nobre Caminho Óctuplo | Sagarapriya
[Áudios-Palestras] Retiro de 10 dias com Ajahn Mudito e Ven. Appamado
[Vídeo] Para começar a meditar | Lama Padma Samten
[Vídeo] Deixamos de pensar quando meditamos? | Sagarapriya
[Vídeo] Compreender Mindfulness | Sagarapriya
[Vídeo] Meditação Budista estudada cientificamente (Natgeo)
[Documentário completo] Tempo de Espera, Tempo de Vipassana
[App] Insight Timer
A melhor maneira de aprender a meditar é receber instruções de um professor qualificado, encontre um centro aqui.

Sobre Ajahn JayasaroAjahn Brahm, SagarapriyaS. N. GoenkaAjahn Mudito

Lista de Mestres e Professores

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: