Contos e Poemas

[Conto] O último ensinamento de Milarepa e as suas nádegas

Um dia, Milarepa avisou Gampopa que tinha chegado a hora de partir.

Ele disse a Gampopa: “Você recebeu toda a transmissão. Eu lhe dei todos os ensinamentos, como se derramasse água de um vaso em outro. Apenas uma instrução essencial eu não ensinei a você. Ela é muito secreta.”

Milarepa então acompanhou Gampopa até a um rio, onde eles se separaram. Gampopa fez prostrações para se despedir e começou a atravessar. Mas Milarepa chamou-o de volta: “Você é um bom discípulo. De qualquer forma vou lhe dar este último ensinamento.”

Muito feliz, Gampopa prostrou-se 9 vezes e esperou pelas instruções. Milarepa começou a virar-se, e puxou o seu manto para cima, mostrando a Gampopa o seu rabo. “Vês? “

E Gampopa disse: “Uh… sim…”

“Você realmente vê?”

Gampopa não tinha certeza do que deveria ver. Milarepa tinha calos nas nádegas; pareciam ser metade carne e metade pedra.

“Veja, foi assim que alcancei a iluminação: sentado e meditando. Se quiser alcançá-la nesta vida, faça o mesmo esforço. Este é o meu último ensinamento. Não tenho mais nada a acrescentar.”

Fonte: “Luminous Mind: The Way of the Buddha” (1997), de Kalu Rinpoche.

Veja também:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: