Ambiente e Natureza Ciência e Tecnologia

Charles Darwin teria se inspirado no budismo?

Darwin é o famoso naturalista célebre pela teoria da evolução das espécies. Um investigador aponta que Darwin pode ter se inspirado no budismo tibetano, ou então é uma coincidência incrível a grande semelhança entre alguns textos.

Teoria da Evolução das Espécies, uma verdadeira revolução

Em 1859 o naturalista britânico Charles Darwin publicou o livro “A origem das espécies”, causando uma mudança radical na biologia.

Até meados do século XIX, a maioria dos cientistas ocidentais compartilhavam a ideia de que Deus tinha concebido todas as criaturas do planeta. Alguns cientistas já falavam numa possível evolução das espécies, mas Darwin foi o primeiro a oferecer provas da seleção natural. Na época tal ideia só podia ser revolucionária, por isso ele teve de lidar com ataques de fanáticos e tentativas para o silenciar. As suas ideias o levaram a tornar-se num dos pensadores e cientistas mais importantes da história.

Darwin viajou pelos 5 continentes e passou anos estudando a natureza até formular a sua teoria. De acordo com a sua tese, há uma luta pela sobrevivência na natureza, mas aquele que sobrevive não é necessariamente o mais forte (como muitas vezes é erroneamente afirmado), mas sim, o que melhor se adapta às condições do ambiente em que vive. Para essa adaptação, a cooperação e empatia têm um papel fundamental. Charles Darwin mostrou que todos os organismos vivos são membros relacionados de um sistema conectado.

Onde entra o Budismo?

De acordo com Paul Ekman – que já foi considerado um dos 100 mais notáveis psicólogos do século XX e que estuda as ligações entre as emoções humanas e a expressões faciais – existem semelhanças “incríveis” entre os textos de Darwin e a filosofia budista tibetana. Segundo Ekman, Darwin teria se inspirado no budismo ou até ter sido um budista (o que é menos provável).

Darwin é mais conhecido por conceber a teoria da evolução para explicar a diversidade de espécies, mas também escreveu amplamente sobre os laços emocionais entre os humanos e as semelhanças entre as emoções dos humanos e dos animais.

As passagens nas quais o cientista vitoriano abordou a compaixão e a moralidade são “praticamente as mesmas, ou exatamente as mesmas” que os textos budistas tibetanos, alega o professor e psicólogo Paul Ekman, dizendo que é uma coincidência incrível, se é que é uma coincidência, que as suas opiniões sejam tão idênticas à visão tibetana. “Como essa coincidência ocorreu? Se fosse contemporânea, a questão do plágio surgiria porque as palavras são praticamente as mesmas, ou exatamente as mesmas. Não estou de forma alguma acusando Darwin de plágio”, declara Ekman.

Paul Ekman disse que Darwin poderia ter absorvido os ensinamentos budistas tibetanos através do seu amigo Joseph Hooker, que viajou para o Tibete em 1847 para estudar a flora local. A esposa de Darwin, Emma, ​​também teria interesse pelo budismo.

O professor Ekman revelou que o seu amigo Dalai Lama também comentou sobre os paralelos. “Quando li algumas das passagens de Darwin ao Dalai Lama, ele disse: ‘Agora vou-me chamar de darwiniano'”, referiu Ekman em 2009.

Referências: Telegraph, Independent.

Leitura complementar (link externo):

Veja também:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: