Contos e Poemas

[Conto] A Lua Não Pode Ser Roubada / A Velha Manta

A Lua Não Pode Ser Roubada

Ryōkan Taigu, um mestre zen, vivia a mais simples e frugais das vidas em uma pequena cabana aos pés de uma montanha. Uma noite um ladrão entrou na cabana apenas para descobrir que nada havia para ser roubado.

Ryōkan retornou e o surpreendeu lá.

“Você fez uma longa viagem para me visitar,” – ele disse ao gatuno – “e você não deveria retornar de mãos vazias. Por favor tome minhas roupas como um presente.”

O ladrão ficou perplexo. Rindo de troça, ele tomou as roupas e esgueirou-se para fora. Ryōkan sentou-se nu, olhando a lua.

“Pobre coitado,” – ele murmurou – “gostaria de poder dar-lhe esta bela lua.”

A Velha Manta

O mestre Ryōkan vivia numa pequena ermida, na montanha. Certa noite, um ladrão apareceu por lá. Entrou na ermida e olhou ao redor, atentamente, mas não encontrou nada para roubar.

Ryōkan, ao que parecia, dormia profundamente, envolto numa velha manta que o ladrão, para não sair de mãos vazias, resolveu levar. Tomou-a com todo cuidado e fugiu rapidamente.

Então Ryōkan, que não estava tão adormecido quanto o ladrão imaginava, levantou-se. E, tremendo de frio, compôs um haicai:

“Cá, na janela,
deixada pelo ladrão,
ficou a lua.”

Fonte: Histórias para a Sabedoria – Uma Ontologia de Koans, Contos, Lendas e Parábolas Orientais; Compilação e Edição de: Shén Lóng Fēng.

Veja também:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: