Política e Sociedade

Racismo: Mingyur Rinpoche divulgou um comunicado abordando a recente agitação racial nos EUA

O afro-americano George Floyd foi morto no dia 25 de Maio de 2020 por um agente da polícia de Minneapolis, nos EUA. O agente esteve durante 8 minutos e 46 segundos com o joelho sobre o pescoço de Floyd, enquanto este exclamava: “Não consigo respirar”. A morte de George Floyd gerou revolta social e uma onda de protestos antirracistas e contra a violência policial.

Yongey Mingyur Rinpoche, um respeitado professor e mestre das linhagens Karma Kagyu e Nyingma do budismo tibetano, divulgou um comunicado abordando a recente agitação racial. O comunicado completo diz o seguinte:

Caros amigos, membros da comunidade e colegas meditadores,

Estamos vivendo um tempo de agitação e sofrimento sem precedentes. A pandemia global já perturbou todos os aspetos das nossas vidas. Como se isso não fosse desafiador o suficiente, vocês, nos Estados Unidos, agora estão testemunhando e talvez até mesmo experimentando diretamente a dor e a angústia de comunidades sendo dilaceradas pelo sofrimento de homens, mulheres e famílias negras que não foram realmente ouvidas, reconhecidas e atendidas.

A nossa resposta ao sofrimento é frequentemente meditar. Meditamos para ver os nossos próprios pontos cegos com mais clareza. Meditamos para abrir totalmente o coração ao sofrimento dos outros. E meditamos para curar as nossas próprias feridas, para que possamos realmente servir aos outros.

Mas orações e meditação não são suficientes, especialmente em tempos como este. A meditação deve ser acompanhada de ações sábias e compassivas.

O próprio Buda viveu um tempo de tremendo sofrimento e injustiça. O sistema de castas da Índia antiga era um sistema injusto que levou a grandes preconceitos e violência. Esse foi o mesmo sistema que deu ao Buda – quando jovem – imenso poder, riqueza e privilégio. Ele era um príncipe. Ele tinha muito a perder e nada a ganhar ao interromper o sistema de castas, mas foi exatamente isso que ele fez.

Quando o Buda formou a sua própria comunidade, ele desrespeitou as tradições milenares do sistema de castas e permitiu que pessoas de todas as esferas da vida entrassem na Sangha. Não foi perfeito. As mulheres não tinham o mesmo status que os homens. Mas foi uma revolução na época. Ele não orou simplesmente para que o sofrimento do sistema de castas terminasse. Ele usou o poder que tinha para mudar ativamente os sistemas da sua época que estavam causando sofrimento a tantas pessoas.

O sofrimento assume muitas formas. É verdade que sofremos individualmente. No entanto, o princípio da interdependência nos ajuda a ver que a ignorância e o sofrimento criados não são meramente experiências individuais. Manifestam-se nas nossas famílias, comunidades, cultura e sociedade, tanto quanto vivem em cada um de nós individualmente.

Para olhar o sofrimento com sabedoria e compaixão, precisamos examinar essas redes de interconexão. Devemos reconhecer o papel que estamos a desempenhar no todo. Devemos usar o poder que temos para ajudar quando pudermos e apoiar os outros quando não pudermos.

Este é o exemplo que o Buda deu para nós há 2500 anos. Então, como agora, não houve respostas fáceis. O Samsara é complicado. O único caminho a seguir é fazer o nosso melhor. E, ainda que certamente iremos cometer erros, se nos deixarmos guiar pela sabedoria e compaixão, os nossos erros nos levarão para mais perto de um mundo que não valoriza mais uma vida do que outra.

Atenciosamente,
Yongey Mingyur Rinpoche

Referências: Wikipédia, Buddhistdoor, Tergar Madison FB.

Veja também:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers like this: