Lugares Sagrados: Os melhores locais para uma Peregrinação Budista ou Viagem Espiritual | Parte 1 de 3

Imagem Publicado em Atualizado em

INTRODUÇÃO

Existem diversos motivos que leva alguém a fazer um peregrinação budista. Pode ser simplesmente para visitar locais históricos, conhecer a história do budismo e desses locais, apreciar a magnificência dos monumentos, etc. Mas essencialmente, uma peregrinação é uma oportunidade de aprofundamento da prática.

Nas palavras de Narada Mahathera: “Os Budistas não adoram imagens esperando favores espirituais ou terrenos, mas prestam reverência ao que elas representam. Um Budista consciente, oferecendo incenso e flores a uma imagem, se faz sentir expressamente a si mesmo na presença de Buddha em vida, e assim, ganha inspiração da sua personalidade nobre e respira profundamente da sua compaixão ilimitada. Tenta seguir o nobre exemplo de Buddha.”

Como é sabido, imagens e símbolos têm uma influência psicológica em nós, dessa forma, numa peregrinação se estabelece uma conexão emocional com o Buda e os seus ensinamentos, a peregrinação motiva e inspira o praticante. É um momento para ampliar certas qualidades mentais e progredir no Caminho.

Os locais onde é comum as peregrinações budistas são vários. Os 4 principais são: Lumbini (no Nepal), Bodhgaya, Sarnath e kushinagar (na Índia). Adicionalmente existem mais outros locais importantes, tais como: Rajgir, Shravasti e Nalanda, também na Índia. Esses são alguns dos locais onde Buda esteve e que estão relacionados com eventos importantes da sua história. Além desses locais conectados à vida de Buda, existem vários outros que se tornaram importantes quer pela sua história como por sua beleza arquitectónica e importância actual.

Neste artigo dividido em 3 partes, fique a conhecer uma ampla variedade de locais sagrados do budismo e a sua história e impacto nas sociedades. Na Parte 1 é explorado o: Nepal, Índia, Butão e Tibete; na Parte 2: Sri Lanka, Tailândia, Myanmar, Camboja e Indonésia; na Parte 3: China, Taiwan, Correia do Sul e Japão.

“Ananda, há quatro lugares que ao serem vistos despertarão um senso de urgência e emoção nos devotos. Quais quatro? ‘Aqui o Tathagata nasceu’, é o primeiro. ‘Aqui o Tathagata realizou a perfeita iluminação’, é o segundo. ‘Aqui o Tathagata colocou em movimento a insuperável roda do Dhamma’, é o terceiro. ‘Aqui o Tathagata realizou o parinibbana’, esse é o quarto.”
– Buda, Mahaparinibbana Sutta (DN 16)


PARTE 1
Nepal, Índia, Butão e Tibete


.: Nepal :.

Lumbini

Lumbini foi o local de nascimento de Siddhartha Gautama, o príncipe do clã Shakya que mais tarde viria a se tornar no Buda. Estima-se que Buda tenha nascido por volta de 500 a 600 anos antes da Era Comum, ou até mais, conforme apontam algumas investigações.

Em Lumbini existe um número significativo de templos e mosteiros em representação das diversas tradições do budismo. O Templo  Mayadevi é o templo mais sagrado e marca a localização exacta do nascimento de Buda. Além dos templos existe um museu, monumentos, edifícios de apoio aos peregrinos, hotéis, restaurantes e uma ampla área verde. Lumbini é Património Mundial da UNESCO.

Lumbini

NPL - Lumbini 02

Lumbini

Lumbini

Lumbini

LUMBINI NEPAL 2017

Lumbini

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Veja também:

Boudhanath Stupa, Kathmandu

Localizada na capital do Nepal, Boudhanath é uma das maiores stupas semi-esféricas do mundo e é o templo budista tibetano mais sagrado do mundo fora do Tibete. Boudhanath é Património Mundial da UNESCO.

Boudhanath

Boudhanath at dawn, Kathmandu

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

.: Índia :.

Bodhgaya

Bodhgaya é o local mais importante de uma peregrinação budista, pois foi aí que Siddhartha Gautama atingiu a iluminação ou despertar e se tornou num Buda. Também foi em Bodhgaya que o Buda tomou a decisão de ensinar o Caminho. Tal como Lumbini e outros locais importantes por onde o Buda passou, existem templos e mosteiros das diversas tradições do budismo.

O Templo mais importante é o Mahabodhi, que assinala o local exacto do despertar de Buda. Debaixo da árvore Boddhi, Buda meditou e despertou, uma parente dessa árvore permanece no complexo. A partir das 4:30 ou 5h da manhã, o complexo Mahabodhi começa a fervilhar de actividade. O Mahabodhi é Património Mundial da UNESCO.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Varanasi e Sarnath

Varanasi, também conhecida por Benares, é uma das cidades mais incríveis da Índia. É também uma das cidades mais antigas da Índia e do mundo. É um local de grande importância para os Hindus. A actividade na cidade e principalmente junto ao rio Ganges é impressionante! Por todo o lado vemos Sadhus, peregrinos, muito comércio e claro as vacas sagradas. Uma cidade cheia de sons, cheiros, ruas labirínticas, ruelas e becos. Há sempre qualquer coisa a acontecer.

Junto a Varanasi fica Sarnath.

Sarnath foi o local do primeiro ensinamento proferido pelo Buda e o inicio da Sangha (comunidade budista). A Stupa Dhamekh é o monumento mais importante, marca o local do primeiro ensinamento. Foi mandada construir pelo imperador Ashoka.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Rajgir

Assim como Varanasi, Rajgir também está entre as cidades mais antigas da Índia e do mundo. Na época de Buda era a capital do Reino de Magadha. Foi para Rajgir que o príncipe Siddhartha se dirigiu após abandonar o seu palácio, provavelmente para contactar com a grande comunidade de ascetas que frequentavam as grutas, florestas e escarpas à volta da cidade.

O Pico do Abutre ou Pico da Águia é o local mais importante, aí foram expostos importantes ensinamentos. Foi também numas grutas em Rajgir que ocorreu o Primeiro Concílio Budista.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Nalanda

A poucos kms de Rajgir ficam as ruínas de Nalanda. Considerada a primeira universidade residencial do mundo, Nalanda no seu apogeu teve mais de 10 000 alunos e 2000 professores. Foi a maior universidade na sua época. Segundo fontes tibetanas, Nagarjuna ensinou aí. Para além de estudos budistas e de filosofia, também era ensinado ciência, astronomia, medicina, lógica, yoga, vedas, etc. Nalanda é Património Mundial da UNESCO.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Veja também:

Sravasti

Sravasti foi a capital do antigo Reino de Kosala, serviu de abrigo a Buda durante 24 estações da chuva nos jardins Jetavana.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Kushinagar

Foi em Kushinagar que Buda faleceu e entrou em Parinirvana. No Templo do Parinirvana encontra-se uma grande estátua do Buda deitado. A Ramabhar Stupa assinala o local onde o Buda foi cremado.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.


Para ver mais fotos e conhecer com um pouco mais de detalhe estes locais da Índia acima referidos (e outros), incluíndo os Suttas associados a esses locais e links para outras informações, veja o post: Viagem à Índia – Nos Passos de Buda.


Grutas de Ajanta

As Grutas de Ajanta remontam ao século II aC e impressionam pelas suas esculturas e pinturas. São as primeiras grutas onde a rocha foi cortada para formar esculturas e monumentos. Ajanta é um testemunho sem interrupção da história religiosa do budismo, durante um período de 700 anos. Através de Ajanta nós podemos aprender sobre as várias facetas da vida antiga na Índia — desde o traje do povo, o trabalho artístico dos artesãos e as crenças religiosas daquela época até à posição política e económica dos governantes. Estás magníficas grutas com as esculturas e pinturas que retratam a vida de Buda e a sociedade da época, são consideradas como o início da arte indiana clássica e exerceram também uma influência na arte budista de outros países do oriente.

As Grutas de Ajanta são Património Mundial da UNESCO e um dos um dos principais destinos turísticos da Índia.

Ajanta

Ajanta Aurangabad

Ajanta

Ajanta Caves

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Veja também:

Sanchi Stupa

Localizada na colina da cidade de Sanchi, é considerada o mais antigo monumento de pedra da Índia. Foi mandada construir pelo imperador Ashoka no século III aC. Vários contos e eventos relacionados com o Buda foram esculpidos na pedra e estima-se que o seu núcleo seja construído sobre relíquias do Buda.

No 1° século aC foram adicionadas quatro toranas (porta monumental). As portas paifang chinesas, os toriis japoneses e outras estruturas semelhantes procedem da torana indiana.

O complexo Sanchi é Património Mundial da UNESCO.

India - Madhya Pradesh - Sanchi - Stupa 1 - 254

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

McLeod Ganj, Dharamshala

Dharamshala é um destino popular para turistas indianos e estrangeiros, incluindo estudantes da cultura tibetana.

O subúrbio McLeod Ganj tornou-se a residência oficial do Dalai Lama e abriga vários mosteiros budistas e milhares de refugiados tibetanos. Devido à presença do Dalai Lama e da cultura tibetana, McLeod Ganj cresceu ao longo dos anos e tornou-se num importante destino turístico e de peregrinação. Dharamshala e McLeod Ganj muitas vezes são apelidados de “Pequena Lhasa”.

Dharamshala foi seleccionada como uma das centenas de cidades indianas a serem desenvolvidas como uma cidade inteligente.

Dharamshala

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Ladakh

Ladakh é uma região no estado indiano de Jammu e Caxemira. A sua cultura e história estão intimamente relacionadas com a do Tibete.

Diskit Monastery, Nubra Valley, Ladakh.

Likir Gompa - Ladakh

Ladakh - Lamayuru

INDIA Ladakh

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Sikkim

Sikkim é um estado no nordeste da Índia e faz fronteira com o Nepal, China e Butão. Possui 75 mosteiros budistas, os mais antigos datados de 1700. O Budismo Vajrayana (tibetano) desempenha um papel significativo na vida pública.

first ray...

Lrd Buddha

Gangtok, Sikkim

Ralong Monastery

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Darjeeling

Darjeeling é conhecida pela sua industria do chá, sua vista sobre Kangchenjunga (terceira montanha mais alta do mundo) e a linha férrea Darjeeling Himalaia (Património Mundial da UNESCO). Vários mosteiros budistas surgiram em Darjeeling ao longo do tempo, alguns datam de 1800.

darjeeling

peace pagoda

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Global Vipassana Pagoda, Mumbai

O Global Vipassana Pagoda é um salão de meditação perto de Gorai, no noroeste de Mumbai.

O centro do Global Vipassana Pagoda contém a maior cúpula de pedra do mundo construída sem pilares de apoio. No interior pode acomodar mais de 8000 pessoas, permitindo-lhes praticar a meditação Vipassana, como ensinado pelo S. N. Goenka. Na construção foi utilizada tecnologia antiga e moderna para permitir que dure mais de mil anos.

Global Vipassana Pagoda, Mumbai, India.

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

.: Butão :.

Taktsang Palphug

Butão é um país cheio de templos e mosteiros e o Budismo Tibetano tem um papel relevante na sociedade.

O Mosteiro de Taktsang ou Paro Taktsang, conhecido também como Ninho do Tigre, é um dos mais emblemáticos mosteiros do Butão. Foi construído em 1692 na boca da caverna Taktsang Senge Samdup que se situa num penhasco. O Guru Padmasambhava teria meditado lá nos anos 800 da Era Comum. Dentre os vários mestres famosos que visitaram o local no passado consta o nome do famoso mestre e poeta tibetano Jetsun Milarepa.

Tiger's Nest Monastery

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Veja também:

.: Tibete :.

Lhasa

O Budismo Vajrayana surgiu na Índia, chegou ao Tibete e se disseminou e desenvolveu, por isso também é comum nos referirmos a essa forma de budismo como “budismo tibetano”. Países como o Butão e regiões do norte da Índia como o Ladakh, foram profundamente influenciados pela cultura tibetana.

Lhasa foi a capital religiosa e administrativa do Tibete desde os meados do século XVII e literalmente significa “A Cidade dos Deuses”. Contém muitos sítios budistas culturalmente significativos, como o Palácio Potala, o Templo Jokhang e o Palácio Norbulingka.

Palácio Potala

É a jóia do Tibete e foi a principal residência dos sucessivos Dalai Lamas. Actualmente o palácio é um museu. É Património Mundial da UNESCO e foi nomeado pelo programa de televisão americano Good Morning America e pelo jornal USA Today como uma das Novas Sete Maravilhas.

Potala

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Templo Jokhang

Apesar da imponência do Palácio Potala, o Templo Jokhang é considerado pelos tibetanos como o templo mais sagrado e importante do Tibete. É Património Mundial da UNESCO.

Jokhang temple

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Palácio Norbulingka

Serviu como a tradicional residência de verão dos sucessivos Dalai Lamas. É Património Mundial da UNESCO.

Norbulingka

Saiba mais: Wikipédia-eng; Google Maps – Localização.

Veja também:


CONTINUAÇÃO DO ARTIGO:


Veja também:


Créditos das fotos: Bodhgaya, Varanasi, Sarnath, Rajgir, Nalanda, Sravasti e Kushinagar – Ricardo Sousa / Olhar Budista.
As restantes fotos foram incorporadas a partir do Flickr, clique nas fotos para aceder ao perfil do autor.

Anúncios

2 opiniões sobre “Lugares Sagrados: Os melhores locais para uma Peregrinação Budista ou Viagem Espiritual | Parte 1 de 3

    Yara Pires disse:
    09/02/2018 às 0:07

    Impressionante, os templos transmitem paz apenas em observa-los nas fotos, imagino como deve ser emcionante adentra-los! Gratidão pelas imagens e explicações!

    Liked by 1 person

      Admin respondido:
      10/02/2018 às 13:33

      E é só uma pequena amostra 🙂 Grato pelo comentário que contribui para o enriquecimento do site!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s